Usar objetos sugestivos, sentir cheiros diferentes, transar em locais proibidos e até um pouco de masoquismo são coisas que vivem no imaginário das pessoas.

Todo mundo tem fetiches, não adianta negar. Pode ate dar um pouco de vergonha de assumir, mas confessemos: quem nunca pensou e e se excitou com algo bem particular?
Usar objetos sugestivos, sentir cheiros diferentes, transar em locais proibidos e até um pouco de masoquismo são coisas que vivem no imaginário das pessoas. Felizes são aqueles que conseguem botar suas fantasias em prática e e tornar até os desejos mais secretos realidade…   Você faz a linha passivo submisso? Gosta mesmo de deixar toda autoridade do lado de fora do quarto e ser totalmente dominado ? Pois saiba que sua tara tem nome.
Bondage, atração por amarrar o ser amarrado durante o sexo, é um dos fetiches de dominação e submissão mais fantasiado .
Deixar que o outro faça o que quiser ou estar no comando da situação é aquilo que faz os adeptos ao bondage subir pelas paredes. Eles dizem sentir um auto grau de excitação ao terem os braços ou pernas amarrados, usarem mordaça ou venda ou qualquer outra coisa que limite seus movimentos na hora H.
As armas desta excitante brincadeira não requerem nada muito sofisticado ou elaborado. Cordas simples, como essas que estão à venda em ferragens, servem perfeitamente para realizar a fantasia do passivo que quer ser amarrado. o que deixa o jogo ainda mais quente.
E engana-se quem imagina que a imobilização, obrigatoriamente, tem que ser com cordas ou cintos. Às vezes, nada disso é necessário, basta apenas a força , que pode imobilizar seu parceiro pegando-o de jeito, seja com um puxão de cabelo ou uma pegada bem firme nos braços.
Também ao contrário do que muita gente pensa, praticar o bondage não se trata de violar a outra pessoa enquanto ela está imobilizada. A “arte” de brincar de dominante e dominado envolve provocações, cócegas, lambidas, chupadas e tudo mais que a criatividade e o parceiro permitam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário